Decorreu, durante o mês de Maio, mais uma edição do Concurso de Leitura, promovida pela Biblioteca/Centro de Recursos do Agrupamento de Escolas Nuno Álvares.

Trata-se de uma iniciativa integrada no Plano Nacional de Leitura e que abrangeu todos os anos de escolaridade do AENA. Esta é uma atividade sempre acalentada e apoiada pela BE/CR, desenvolvida com o mesmo entusiasmo da primeira vez.

 

Biblioteca Escolar promove Dia do Autor Português

No dia 19 de maio, os alunos da turma E do 11º ano, da Escola Secundária  Nuno Álvares, celebraram os autores de língua portuguesa com a distribuição e leitura de textos no centro da cidade de Castelo Branco.

No decorrer da aula de Português, os alunos viveram a palavra de uma forma diferente: ofereceram a sua leitura àqueles que passavam e que, com agrado, recebiam poesia e prosa, surpreendidos com a novidade do momento.  Camões, Sophia, Pessoa, Eça, Antero, Torga, entre outros, circularam pela cidade.

Houve ainda, junto das esplanadas,  momentos musicais, em que os alunos tocaram guitarra e cantaram, dedicados à “Pedra Filosofal” , de António Gedeão, e outros poemas.

Os alunos viveram esta iniciativa com muito entusiasmo e os albicastrenses aderiram com interesse e gosto.

Ler sempre. Ler em qualquer lugar.

Para comemorar o livro e a leitura, as Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Nuno Álvares sugerem algumas atividades.

Diverte-te! 

Para veres as atividades clica no cartaz.

Pare visualizares o vídeo clica aqui.

 

O Agrupamento de Escolas Nuno Álvares, através da Biblioteca / Centro de Recursos da Escola Secundária, apresentou uma candidatura ao programa  “Todos juntos podemos ler”, tendo esta sido selecionada, com a atribuição de recursos, para implementação em 2021/2023.

 A candidatura consta de um projeto designado “Português, Língua de União”, e pretende facilitar a inclusão de alunos de Português Língua Não Materna. Na verdade, verifica-se uma dificuldade de integração de alunos provenientes de outros países, que não dominam a língua portuguesa. Este facto prejudica a sua aproximação socioafetiva à comunidade escolar, uma vez que encontram obstáculos a nível cultural e linguístico. Toda a sua aprendizagem fica, igualmente, comprometida.

Assim, são propostas diversas atividades, de cariz multicultural, no âmbito da leitura, da escrita e da oralidade, recorrendo a ferramentas digitais.  

Estas candidaturas têm sido desenvolvidas, desde 2011, pela Rede de Bibliotecas Escolares, o Plano Nacional de Leitura 2027 e a Direção de Serviços de Educação Especial e Apoios Socioeducativos da Direção-Geral da Educação.

A coordenadora,

Maria da Saúde