A Biblioteca da Escola Cidade de Castelo Branco assinalou ao longo da última semana de janeiro, o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, em articulação com a disciplina de História. Destinada aos alunos do 9.º ano, a atividade desenvolvida ao longo de várias sessões, pretendeu comemorar a libertação dos prisioneiros de Auschwitz, pelas tropas soviéticas, que ocorreu a 27 de janeiro de 1945.

A professora bibliotecária, Célia Rodrigues, dinamizou a atividade fazendo referência a vários livros que abordam este período negro da História da humanidade e também a partir da exploração de fotografias do campo de extermínio de Auschwitz, onde foram mortos mais de um milhão e cem mil prisioneiros, sendo cerca de noventa por cento judeus.  A docente motivou e cativou a atenção dos alunos, revelada pelo profundo silêncio perante a dura realidade comprovada pelas imagens e descrições feitas pela professora, apenas interrompido com intervenções e questões oportunas que os discentes iam colocando.

Ao longo do primeiro período e do mês de janeiro, os alunos de 9º ano da ESNA, na aula de História e Português, em articulação com a Biblioteca Escolar, desenvolveram diversas atividades que possibilitaram, em primeiro lugar, conhecer os Direitos Humanos e, em segundo lugar, perceber que há ainda um longo caminho a percorrer na defesa desses Direitos.

Efetivamente, os alunos foram desafiados a participar na Maratona de Cartas da Amnistia Internacional e, a partir daí, envolveram-se em projetos e dinâmicas diversas. Começaram por celebrar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, realizando, na Biblioteca, trabalhos de investigação alusivos ao tema, que se encontram expostos em diversas áreas da escola. Alguns alunos deslocaram-se inclusivamente a instituições da cidade para divulgar a temática junto de outros jovens. Depois de conhecerem devidamente os casos da Amnistia, com a cooperação da disciplina de EV, os alunos fizeram todos os esforços para recolher assinaturas, dentro e fora da escola, em defesa de mulheres perseguidas por defenderem os Direitos Humanos; as cartas foram enviadas para a Amnistia Internacional. Por fim, realizou-se uma visita à Casa da Memória, no sentido de sensibilizar para a tolerância religiosa e o respeito por outras culturas.

O Dia Internacional dos Direitos Humanos é recordado, ano após ano, tendo como objetivo homenagear todos os cidadãos que promovem valores cívicos, como a Igualdade e a Não Discriminação. Esta comemoração teve origem na Declaração Universal dos Direitos do Homem, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, a 10 de dezembro de 1948, e assinada por 58 estados, cuja finalidade foi promover a Paz, depois da 2ª Guerra Mundial.

Na Escola Cidade de Castelo Branco, a memória daquele dia desdobrou-se em duas atividades. Assim, durante os meses de dezembro e janeiro, a Biblioteca Escolar realizou, em articulação curricular com a disciplina de EDC, do 9º Ano, a Maratona de Cartas, que se tornou num dos maiores eventos de ativismo da Amnistia Internacional, sendo, este ano, dedicado à Não Violência contra as Mulheres. Hoje em dia, as Mulheres encontram-se na” linha da frente” na resistência à discriminação e opressão. Os alunos foram sensibilizados para um conjunto de cinco casos selecionados, que retratavam aquela temática. Posteriormente, procederam a uma recolha de assinaturas, com as quais puderam testemunhar e evidenciar a sua opinião sobre aquele tema, tendo sido enviadas à Amnistia Internacional.

 

No dia 22 de janeiro, os alunos de 9º e 10º ano da ESNA tiveram oportunidade de aprender mais sobre segurança na Internet. Considerando a importância das Literacias digitais na formação dos jovens, a Biblioteca Escolar organizou duas sessões dinamizadas pelo Dr. Osvaldo Santos, professor no Instituto Superior de Tecnologia, na Escola Superior de Educação, de Castelo Branco.

Os alunos compreenderam que as tecnologias fazem parte das nossas rotinas diárias, navegar na Web é necessário para pesquisar informação, os telemóveis são já imprescindíveis à comunicação e no acesso às redes e à Internet, porém há riscos associados ao seu uso que é preciso conhecer. Só o conhecimento pode trazer segurança e ajudar - nos a protegermo-nos do perigo. Nesse sentido, os alunos ficaram a conhecer algumas medidas importantes a tomar no mundo das redes sociais e da Web e foram alertados a salvaguardar a sua privacidade.

 

No passado dia 18 de janeiro, a turma C do décimo segundo ano desenvolveu, na Biblioteca Centro de Recursos, uma aula de introdução ao estudo de Saramago, coordenada pelas professoras Saúde Machado e Vera Oliveira.

Os alunos dividiram-se em grupos, que, após uma fase de pesquisa e registo de dados, apresentaram trabalhos sobre temas, pelos próprios escolhidos, como “a vida e obra do autor”, “a contextualização política e religiosa, no tempo da história e no tempo da escrita”, “a intertextualidade” e “deambulação geográfica e psicológica”, na obra “O Ano da Morte de ricardo Reis”.

Foi, indiscutivelmente, uma iniciativa interessante e profícua!...

Sem dúvida, uma atividade a repetir!...