Como já vem sendo hábito, a Biblioteca da Escola Cidade de Castelo Branco organizou, para assinalar a época natalícia, uma “Feira do Livro”, que decorreu entre 6 a 13 de dezembro. Por este espaço educativo, passaram todas as turmas do 1ºCEB da Escola, tendo alguns professores optado por usufruir do “Cantinho da Leitura”, onde puderam ler uma história aos seus alunos. A feira foi visitada pela comunidade em geral e alguns alunos e professores aproveitaram a oportunidade para comprar presentes de Natal.

Decorreu também na Biblioteca, no final do primeiro período, a “Hora do Conto”, direcionada aos alunos do 2º Ano. A Professora Bibliotecária leu e comentou a história “A Prenda de Natal” de John Burningham, tendo solicitado a participação dos alunos que corresponderam, com naturalidade e, de forma entusiástica, às solicitações da professora. No final, os alunos envolveram-se na realização de pequenas coreografias, ajudando, assim, o Pai Natal a percorrer o longo e saudoso percurso, de regresso a casa.

 

 

Concurso de Leitura 3º CEB

Realizou-se, no dia 6 de dezembro, na escola Faria de Vasconcelos, a 1ª fase do Concurso Nacional de Leitura.

Concurso de Leitura 2º CEB

Realizou-se, no dia 5 de dezembro, a 1ª fase do Concurso de Leitura do 2º Ciclo do Ensino Básico.

Concurso de Leitura 1º CEB

Realizou-se, no 29 de novembro, a 1ª fase do Concurso de Leitura do 1º Ciclo do Ensino Básico, tendo participado todos os alunos do 4º ano (Escola Faria de Vasconcelos e Nossa Senhora da Piedade).

A equipa da Biblioteca escolar

No âmbito da literacia familiar e, com o intuito de envolver as famílias e sensibilizar os alunos para a importância da Leitura, a turma do 3ºA, da Escola Cidade Castelo Branco, aceitou o desafio, lançado pela Professora Bibliotecária. Assim, ao longo do mês de novembro, foram decorrendo algumas sessões, com as mães de alguns alunos desta turma, que se pautaram pela boa disposição de miúdos e graúdos.

No dia 14 de novembro, a mãe da Mafalda, Sandra Lopes, leu a história “Quem ri no meu jardim?”, da escritora Annalisa Strada. A personagem principal era um pequeno príncipe, chamado Farhad, que só brincava com amigos imaginários, nos vários quartos do seu palácio. Ele tinha muitos medos e não queria brincar no jardim.

Um dia, Farhad ouviu rir no exterior e saiu do palácio, com curiosidade. Ele conheceu um menino, conversou e brincou com ele. Os dois ficaram amigos para sempre. Esta história foi uma bela forma de abordar o tema da amizade.

No passado dia 5 de Dezembro, decorreu, na ESNA, a primeira fase do Concurso Nacional de Leitura, em que participaram trezentos e sessenta e um alunos.

Envolvendo diretamente os professores do Departamento de Português e visando sobretudo o incentivo à leitura e à cultura literária, a Biblioteca Escolar dinamizou este concurso no Agrupamento, através de uma Prova da Escola que testava o conhecimento das obras “A Ordem do Poço do Inferno” da autoria de Nuno Matos Valente, para o Ensino Básico, e “Quem me Dera Ser Onda”, de Manuel Rui, para o Ensino Secundário. Estas obras tinham sido divulgadas e sugeridas para leitura aos alunos logo no início do ano letivo, para se prepararem devidamente.

A iniciativa, de âmbito nacional, da responsabilidade do PNL e da RBE, conduzirá, numa próxima fase, à realização de uma Prova Concelhia, no início do segundo período letivo.

A Escola Secundária Nuno Álvares recebeu o escritor Mia Couto, no dia 20 de novembro de 2018, entre as 11 e as 12 horas. A convite da Câmara Municipal, no âmbito duma atividade promovida pela Cultura Vibra, a Biblioteca Escolar da ESNA organizou o evento na escola para alunos do 11.º e 12.º anos das disciplinas de Português e de Literatura Portuguesa, que conversaram com Mia Couto, na Biblioteca Egas Moniz.

Após uma apresentação pelo Diretor do Agrupamento, António Carvalho, e a leitura de um poema pelo aluno Diogo Faustino, “Mudança de idade”, o escritor moçambicano – acompanhado pelo editor Zeferino Coelho –desafiou o público a colocar questões, oferecendo-se para, dessa forma, partilhar as suas experiências enquanto poeta, prosador e cientista.

Os alunos reagiram positiva e entusiasticamente à proposta e o diálogo manteve-se aceso durante todo o encontro. Como se faz o encontro entre a Biologia e a Literatura, que mundos servem de inspiração, como se traduzem palavras inventadas? Foi o momento da palavra e das interrogações. Muito ficou por dizer. Mas continuamos com o escritor nos livros que temos para ler…