O grupo empresarial, Navigator, ligado à produção de pasta de papel e detentor de uma vasta área florestal, esteve presente na nossa escola,no âmbito do seu Projeto denominado-”Dá a mão à floresta”. O propósito desta visita,visava a sensibilização dos alunos para a necessidade de proteger e valorizar a nossa floresta. Assim, foi desenvolvida uma sessão, na qual os alunos foram incentivados a participar em jogos didaticos, que visaram testar e ampliar os seus conhecimentos a nível da fauna e da flora do nacional,e em simultâneo, alertados para as medidas preventivas de preservação do nosso património natural.

Comemorou-se no dia 22 de maio, o «Dia da Biodiversidade do Planeta Terra», e a nossa Escola não quis deixar de assinalar o dia,tendo para isso aceite a participação de alguns alunos e professores da Escola Profissional ETEPA e Escola Superior de Educação, que desenvolveram algumas atividades,promovidas pela Associação Ecogerminar. Nas salas de aula do 1º, 3º e 4º ano, nas quais foram alertados os alunos para a importância de preservar o nosso planeta, das consequências que as más práticas estão a ter, e o que ainda podemos fazer para evitar uma mal maior, para as gerações vindouras.De seguida,os alunos participaram numa atividade conjunta, de meditação e relaxamento, no pátio da Escola,tendo sido encerrado o evento com a leitura da Carta Aberta de Compromisso, por um dos alunos de 4º ano, durante a qual todos permanecemos de mãos dadas num momento simbólico de amizade e cooperação e no final foi feito um minuto de silêncio, pela persevação da vida, nosso Planeta.

Os Rick e Rock vieram à nossa Escola, no passado dia 20, para mais uma sessão de Teatro e animação, tendo como lema,mais um aspeto inerente à sustentabilidade do nosso Planeta, como sempre tem acontecido.Invariavelmente têm contado com a nossa participação nos trabalhos solicitados, o que também aconteceu este ano. A redução do desperdício, mais precisamente do plástico,esteve na ordem do dia,tendo sido proposto a realização de um trabalho visando a transformação de desperdício num objeto, apelando à imaginação de todos.

Durante a sessão assistimos à apresentação de uma peça de animação com as personagens divertidas a que já nos habituámos,incidindo no flagelo da poluição dos oceanos com quantidades intermináveis de plástico e no papel que cada um de nós pode ter, para o minorizar.

Nós e a turma do 3.º A da Boa Esperança fomos visitar o Pavilhão do Conhecimento e o Oceanário, situados na cidade de Lisboa, no dia 14 de maio.

Participámos nos ateliês “Cães e Gatos” e “Tcharan! Circo de Experiências” do Pavilhão. Fizemos descobertas sobre o comportamento dos cães e dos gatos e muitas outras. Estivemos na cama de pregos, no banco musical, no carro de rodas quadradas, na gruta dos espelhos, na marioneta de Hércules…

No Oceanário fomos mergulhadores em busca de animais escanifobéticos, que habitam os vários oceanos do planeta. Vasco foi o nosso guia com a ajuda do livro, Escanifoquê? de Ricardo Henriques e André Letria.

Foi um dia cheio de emoções agradáveis que não vamos esquecer.

Turma do 3.º A, CCB

Os alunos da turma de 1º ano da Escola Básica da Boa Esperança, em consonância com o seu Projeto Curricular, na área de Estudo do Meio, efetuaram uma visita de estudo à Quinta do Chinco em Castelo Branco. Ali puderam percorrer todo o espaço envolvente, observando todas as parcelas de terreno cultivado com os mais diversos produtos hortícolas, identificando-os e recolhendo alguns deles, com a ajuda preciosa da engenheira agrónoma Ana, que nos acompanhou e orientou durante toda a visita.

De seguida, esperava-nos mais uma experiência enriquecedora. Os vegetais apanhados pelos alunos, haveriam de ser utilizados na confecção de uma deliciosa sopa de nabo e beterraba, pelos também alunos, da Escola Profissional Agostinho Roseta, da área de hotelaria.

Para complementar, ainda prepararam uns deliciosos sumos de fruta e legumes, tudo com a ajuda preciosa dos mais pequenos, que até se vestiram a rigor de avental e chapéu.

No final, foi hora de saborear uma sopa bem quentinha e um sumo bem fresco que todos muito apreciámos.

Agradecemos a simpatia e profissionalismo dos alunos da Escola Agostinho Roseta, assim como das engenheiras Ana e Rosa que nos receberam.