A turma A de 3.º ano da Escola Cidade Castelo Branco iniciou o projeto: “Histórias e Memórias” que contou com a valorosa presença de avós dos alunos da turma, na sala de aula, ao longo do 1.º período.

A avó da Ana Carolina deu a conhecer a lenda associada a Nossa Senhora de Mércoles, relatou a realidade escolar de outrora, a avó de Simão Marques falou da aldeia de Póvoa de Rio de Moinhos, da toponímia e do quotidiano rural e os avós de Maria Leonor mostraram a realidade de um enfermeiro e de uma professora. Os visitantes responderam cabalmente à entrevista preparada pelos alunos que se esmeraram nos registos, na ilustração e na súmula escrita para mais tarde recordar.

O projeto "Histórias e Memórias" tem sido um sucesso, na medida em que se torna um orgulho para os alunos verem os seus avós no papel de professores, mostrando o que o passado tem de melhor. Por outro lado, a aprendizagem é muito vasta porque há toda uma ambiência que é revivida, os objetos que os avós trazem para a aula são novidade e o alargamento vocabular e do universo de ideias dos nossos aprendizes é incontestável.

 

Na manhã do dia 12 de dezembro, os alunos do 3.º A da Escola Cidade de Castelo Branco visitaram a sala de música da mesma escola e tomaram parte de uma aula conduzida pelo Professor João Paulo, numa perspetiva de articulação de conteúdos da área de Expressão Musical.

A ideia surgiu e, com ela, a oportunidade de entrar no mundo da música e dos instrumentos vivenciando-os, pois os alunos tocaram xilofones e metalofones, experimentando os sons graves / agudos de forma ativa. Aprendemos e cantámos, em conjunto com a turma de 2.º ciclo, a canção: “Bom dia!...(dó, ré, mi…)”, alusiva à altura do som e acompanhada por batimentos rítmicos.

Foi um momento muito interessante de contacto entre os dois ciclos de escolaridade.

 

Os alunos de 3.º ano da Escola Cidade de Castelo Branco visitaram, no início de dezembro, a exposição “Mundo Faz de Conta”, patente na Fábrica da Criatividade em Castelo Branco e que esteve a cargo da Associação de Apoio à Criança.

A atividade contou com a recriação de alguns momentos da história “Alice no País das Maravilhas” e “A Bela e o Monstro” pelos atores principais e às crianças foi pedida colaboração para dramatizar. Foi também dada a possibilidade aos visitantes de fazer uso dos acessórios de caracterização para encanto de todos.

O responsável pela Fábrica da Criatividade, professor Carlos Matos, conduziu os alunos numa visita guiada para dar a conhecer o valor cultural deste espaço ao serviço da criatividade e ficou o desejo de o experimentar como autores.

A Escola Cidade de Castelo Branco, do Agrupamento de Escolas Nuno Álvares, participou, no dia 25 de novembro,  com um grupo de alunos do 8º e 9º anos de escolaridade, nas comemorações do Dia Mundial da Ciência, promovido Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar de Castelo Branco – CAATA.

O grupo de alunos e professoras da Escola Cidade de Castelo Branco conheceu e aplicou tecnologia do FABLAB, Laboratório de Prototipagem Rápida, utilizando um scaner 3D, vendo uma impressora 3D a funcionar ou fazendo um molde do próprio dedo.

A seguir, os aprendizes de cientistas ficaram a conhecer o processo de produção de mel e o processo de desidratação da fruta, podendo, no final, degustar amostras de mel e de fruta desidratada.

Por fim, visitaram os laboratórios de Físico-Química, onde foram desenvolvidas diferentes atividades relacionadas estas duas ciências, como por exemplo como fazer “pasta de dentes para elefantes”

No dia 22 de novembro de 2019, na escola CCB, ocorreu o hastear da bandeira «Eco-Escolas», no qual esteve presente a senhora subdiretora que recebeu um diploma pelo reconhecimento do trabalho desenvolvido no ano letivo 2018-2019 em benefício do ambiente e sustentabilidade na escola Cidade de Castelo Branco.

Neste evento esteve também presente o senhor vice-presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, que discursou sobre as alterações climáticas e sobre a poluição. Também discursou a Dra. Fátima Santos, representante da junta de freguesia e da Cáritas, sobre a atuação da Cáritas, referindo que esta instituição recebe as tampinhas que a escola recolhe para adquirir cadeiras de rodas para as pessoas que necessitam.