Os alunos do 9º B da Escola Cidade de Castelo Branco desafiaram a professora de Educação Visual / Diretora de Turma a participar na 1ª Mostra de Árvores de Natal dinamizada pela Câmara Municipal de Castelo Branco.

O nosso projeto foi desenvolvido tanto na sala 23 da Escola Cidade de Castelo Branco bem como no bar dos alunos, em remodelação, da Escola Secundária Nuno Álvares.

Com muito trabalho, esforço e dedicação (valores incutidos desde o 7º Ano pela disciplina) os alunos e professora alcançaram o seu objetivo: construir uma árvore de natal utilizando somente rolhas de cortiça de diferentes tipos recolhidas pelos mesmos, cuidadosa e estrategicamente colocadas sobre uma estrutura concebida em arame, tendo posto à prova a sua organização e capacidade de trabalhar em equipa.

Os alunos dos clubes de Ciências, Desafios e Jornalismo da Escola Cidade de Castelo Branco visitaram, no dia 7 de novembro, a exposição GRANDE GUERRA-EXÉRCITOS DIVERSOS, organizada pela Liga dos Combatentes, no Cybercentro de Castelo Branco.

O Tenente Coronel José Manuel Boieiro explicou de que tratavam os elementos expostos: fotografias de militares na guerra, a bandeira nacional, hasteada em Quionga, Moçambique, e um manequim equipado como um combatente português da I Guerra Mundial.

No exterior, visitámos a reconstituição de uma trincheira, local onde os soldados passaram grande parte do tempo de guerra. Ali dormiam, comiam, vigiavam o inimigo e travavam combates, às vezes atolados na lama e cheios de pulgas e outros animais e parasitas. Concluiu-se que as trincheiras eram locais sem quaisquer condições para viver.

Nesta visita, adquiriram-se muitos conhecimentos sobre a Grande Guerra e aprendeu-se que a guerra obriga as pessoas a passar por muitos sacrifícios.

Os alunos do 8.º ano da Escola Cidade de Castelo Branco visitaram o castelo da nossa cidade, nos dias 12 e 19 de outubro, no âmbito do estudo da formação de Portugal, na disciplina de História. Participaram cerca de metade dos alunos das turmas envolvidas, em tardes sem aulas.

Os alunos seguiram o percurso da muralha que cercava a vila medieval de Castelo Branco, descobrindo os vestígios ainda existentes; souberam como era o castelo, antes de ser quase todo demolido; e ainda visitaram uma oficina de latoeiro, muito parecida com as lojas dos artesãos medievais, e a oficina da Viola Beiroa. Aqui, os artesãos explicaram aos alunos o processo de fabrico deste instrumento musical e as suas caraterísticas únicas.

Foram tardes bem passadas, com diferentes aprendizagens e muito convívio.

Todos os alunos do 1.º ciclo da Escola Cidade Castelo Branco viveram o dia 1 de junho de forma jovial, participando em várias iniciativas que se desenrolaram no Parque da Cidade e no interior da própria escola.

As atividades levadas a cabo pela equipa dinamizadora da Divisão de Educação, Cultura, Desporto e Ação Social da Câmara Municipal proporcionaram uma manhã bem alegre e movimentada com atividades temáticas, desportivas ou visando a interação e comunicação dos participantes – desde os números de magia, passando pelo canal de televisão ou salão de beleza, pôde constatar-se boa organização na diversidade de propostas de entretenimento no dia em que as crianças assumem especial importância.

Na escola, juntou-se o útil ao agradável – para os alunos de 1.º ano foi tarde de fazer construções com legos em que a matemática espreitou por entre as peças montadas e de comer a gelatina preparada, com as crianças, em jeito de “um sabor, um texto a saber”. No âmbito das aprendizagens de português e estudo do meio foi tempo de trabalhar conteúdos na esfera do texto instrucional e da aprendizagem sensorial de misturas e sabores.

O doce momento de apreciar a gelatina confecionada uniu os alunos de 1.º e 2.º ano que recordarão, com alegria, este feliz Dia da Criança.

Os alunos e professores do 4º ano da Escola Cidade de Castelo Branco realizaram uma visita de estudo, no passado dia 15 de maio, ao Jardim do Paço Episcopal de Castelo Branco, que foi recentemente classificado como monumento nacional.

O Professor José Teodoro, professor de História do nosso Agrupamento foi quem nos acompanhou para nos explicar pormenorizadamente o que iríamos ver.

À entrada o Senhor Professor disse-nos que o Jardim do Paço foi mandado construir pelo Bispo D. João de Mendonça e depois terminado por outro Bispo D. Vicente Ferrer da Rocha.

Pudemos observar o labirinto dos buxos com alguns lagos. O Professor Teodoro explicou que neste Jardim há tanques que serviam para regar as hortas, que se situavam onde hoje é o Parque da Cidade e um outro maior, que servia de piscina para os bispos e seus convidados se banharem. Observámos também vários limoeiros centenários.