No passado sábado, dia 20 de junho, os alunos apurados do nosso Agrupamento Nuno Álvares, participaram no concurso Pangea.

Este ano bem diferente, devido ao estado em que o nosso país se encontra, pois, a Pandemia não nos permitiu estar todos juntos na Faculdade de Economia do Porto, assim a prova foi realizada on-line e cada um na sua casa.

A princípio estávamos todos um pouco nervosos, apesar dos nossos professores terem estado on-line e nos ajudarem a controlar os nervos. A prova teve início às 9:30h e terminou às 10:30h.

Foi uma experiência bem interessante, mas vamos torcer para que no próximo ano, sejamos outra vez selecionados e que seja presencialmente no Porto.

Agora estamos a aguardar pelos resultados.

Os alunos do 5ºF

No âmbito do projeto do Domínio da Autonomia e Flexibilidade Curricular das turmas 8.º B e D - O Valor da Água - foram realizadas, na sala de audiovisuais da Escola Cidade de Castelo Branco, duas palestras. A primeira foi orientada por Susana Fé, da EPAL e a segunda por Maria José Batista, administradora dos Serviços Municipalizados de Castelo Branco.

A representante da Empresa de Águas Livres de Portugal explicou que a EPAL faz a gestão sustentável dos sistemas multimunicipais de água e saneamento do Vale do Tejo e que esta empresa abrange 69 municípios, incluindo Castelo Branco.

Os alunos ficaram a conhecer o ciclo urbano da água e o funcionamento das  ETAs (estações de tratamento de água) e ETARs (estações de tratamento de água residuais). Aprenderam que a água é um recurso escasso e finito e que beber água da torneira é uma atitude mais ecológica que diminui a nossa pegada carbónica.

Tal como vem sendo hábito, a Escola Cidade Castelo Branco participou e mostrou a sua criatividade e imaginação no Concurso “Presépios de Natal”, promovido pela Biblioteca Municipal e integrado no tema Natal Branco. A exposição das obras de arte decorreu no espaço interior do Mercado Municipal de 30 de novembro a 31 de dezembro de 2019.

A sessão de entrega de prémios aos vencedores do concurso, decorreu no dia 18 de fevereiro no auditório da Biblioteca Municipal da nossa cidade com a presença do Vice Presidente da Câmara de Castelo Branco, Coronel José Augusto Alves, do Diretor do nosso Agrupamento, Dr. António Carvalho. 

Dois alunos, Tomás Silva do 2º ano e Matilde Cavalheiro do 4º ano, em representação de toda a comunidade escolar, estiveram presentes no momento para receberem os certificados de participação e livros para a biblioteca escolar.

A foto elucidativa mostra como é bom participar, mesmo com a obtenção do 3º prémio ex aequo com outras escolas e instituições do concelho.

Dia de S. Valentim – Dia da amizade

No dia 14 do corrente mês, os alunos do 1º ciclo da escola Cidade Castelo Branco realizaram várias atividades relacionadas com os afetos, no sentido de os sensibilizar para a importância da amizade e de ter amigos. Nos tempos de hoje, em que a violência é uma constante torna-se necessário  promovermos a amizade e apelarmos à sã convivência entre todos.

Todos os alunos recortaram um coração, onde escreveram frases sobre a amizade, que continham bonitas mensagens. Posteriormente a nossa escola foi decorada com esta forma de expressar afetos, intitulada “Sou feliz porque tenho amigos”.

A professora Célia, professora bibliotecária da nossa escola, a convite das professoras Amélia Alves e Fátima Carrega realizou duas sessões de leitura na sala de audiovisuais, uma para o 1º e 2º ano denominada “O sapo apaixonado” e outra para o 3º e 4º ano intitulada “O lobo que queria ter uma namorada”.

 

Somos alunos do 8.º ano da Escola Cidade de Castelo Branco e visitámos Belém, em Lisboa, nos dias 22 e 30 de janeiro.

À ida, dialogámos acerca das centrais hidroelétricas do Fratel e de Belver, ali ao lado da A23, e da central do Pego, pois o nosso destino era a Central Tejo, no MAAT.

Esta central termoelétrica foi pioneira na produção de eletricidade, em Lisboa. Aprendemos muito sobre a produção desta energia, a partir de diferentes fontes.

Ao almoço, entre pombos e gaivotas, saboreámos os centenários pastéis de Belém e as comidas da moda no McDonald e no Starbucks.

À tarde, por entre os pingos da chuva, admirámos as palmeiras petrificadas dos Jerónimos, o estilo modernista do CCB, o Padrão dos nossos descobridores a entrar nas águas do Tejo e ainda demos um salto à Torre que guardava Belém e Lisboa, decorada com cordas, cruzes e grãos de pimenta.

Vivemos bons momentos de convívio e sabedoria.