Ao longo do primeiro período e do mês de janeiro, os alunos de 9º ano da ESNA, na aula de História e Português, em articulação com a Biblioteca Escolar, desenvolveram diversas atividades que possibilitaram, em primeiro lugar, conhecer os Direitos Humanos e, em segundo lugar, perceber que há ainda um longo caminho a percorrer na defesa desses Direitos.

Efetivamente, os alunos foram desafiados a participar na Maratona de Cartas da Amnistia Internacional e, a partir daí, envolveram-se em projetos e dinâmicas diversas. Começaram por celebrar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, realizando, na Biblioteca, trabalhos de investigação alusivos ao tema, que se encontram expostos em diversas áreas da escola. Alguns alunos deslocaram-se inclusivamente a instituições da cidade para divulgar a temática junto de outros jovens. Depois de conhecerem devidamente os casos da Amnistia, com a cooperação da disciplina de EV, os alunos fizeram todos os esforços para recolher assinaturas, dentro e fora da escola, em defesa de mulheres perseguidas por defenderem os Direitos Humanos; as cartas foram enviadas para a Amnistia Internacional. Por fim, realizou-se uma visita à Casa da Memória, no sentido de sensibilizar para a tolerância religiosa e o respeito por outras culturas.

Atena Daemi é um dos casos da Maratona de Cartas.

“Atena Daemi, uma ativista contra a pena de morte e defensora dos direitos das mulheres, encontra-se atualmente a cumprir uma pena de sete anos no Irão pelo seu ativismo pacífico. O seu crime? Distribuir panfletos contra a pena de morte e criticar nas redes sociais o recorde atroz de execuções no país. Em 2014, então com 26 anos, Atena foi vendada e presa fora de casa. Durante os primeiros 28 dias da sua detenção esteve numa cela infestada com insetos e sem casa de banho.(...) Durante a greve de fome de 2017, tossiu sangue, sofreu uma perda de peso muito significativa, teve náuseas, vómitos e dores de rins. Precisa urgentemente de cuidados médicos especializados. Apesar de tudo isto, Atena recusa-se a parar a sua luta.”