A Semana da Leitura é um evento cultural de grande importância nas nossas escolas e, neste ano de 2014, chegou com a primavera, cheio de novas aprendizagens.

Logo após Festival Literário, que trouxe à escola e à cidade autores de vulto na literatura portuguesa, a Biblioteca Escolar, órgão pedagógico essencial à vida da escola e dos seus aprendizes, em articulação com diversos departamentos, dinamizou um plano cultural para a semana, que abrangeu atividades de cariz literário, cientifico, lúdico, tecnológico, filosófico, ambiental, artístico.

A celebração do livro e das atividades à volta da leitura, tanto recreativa, como informativa e utilitária, fez-se através do cumprimento de um programa vasto e dinâmico, que envolveu não só os alunos como também os pais, os funcionários, os professores e a comunidade albicastrense: Feira do Livro;  III ciclo de histórias; I Ciclo de Cinema; Palestra “Dois Olhares… sobre Castelo Branco há 250 anos”, com José Teodoro e Carlos Matos;  Encontro com o escritor Nuno Matos Valente; Encontro com a Escritora Helena Alves; Maratona da leitura: Um dia com os Lusíadas; Matemática Recreativa na Biblioteca: encontro com o prof. José Filipe; Concurso de Leitura do 2º ciclo – fase interconcelhia; Teatro “ A fada Oriana; Exposição-Concurso: “Ilustração da capa de um livro”; Exposição-concurso de Poesia; SOBE: Saúde Oral e Bibliotecas Escolares – Hora do conto e Higienista na escola…

Foram, de facto, atividades promotoras do gosto pelo livro e pela leitura e que fazem da nossa escola e do nosso Agrupamento um serviço educativo de excelência, sempre voltado para o desenvolvimento integral dos nossos alunos. De facto, a escola afinal já não se compadece com modelos tradicionais e magistrais de ensino. A escola quer-se viva, dinâmica, rica em vivências que, muitas vezes, mais do que o manual escolar, promovem o sucesso educativo e fazem dos seus alunos pessoas mais felizes.

A propósito da temática deste ano, “800 anos de Língua Portuguesa”, as bibliotecas lançaram um concurso aos jovens alunos, que os desafia a, dentro do perímetro geográfico dos concelhos de Castelo Branco e Vila Velha de Ródão, fazer fotografias que testemunhem usos indevidos ou errados da língua portuguesa em espaços públicos, usando dispositivos pessoais ao seu dispor (máquina fotográfica, telemóvel, tablet ou outro). São os “Cromos da Língua”. Pretende-se, assim, alertar, de uma forma lúdica e simples, para o bom uso do Português, sabendo-se que este nem sempre é bem tratado pelos seus falantes.