netGIAE

 

 

Os alunos do 8.º ano da Escola Cidade de Castelo Branco foram desafiados a conhecer os seus antepassados, a partir da análise da genealogia do rei D. Manuel I, nas aulas de História.

Eles falaram com os seus familiares mais velhos, comunicaram com aqueles que vivem longe, no registo civil  obtiveram dados mais rigorosos, foram aos cemitérios conferir nomes e datas e nos sites dos arquivos distritais descobriram quem foram os seus mais velhos.

De seguida construíram as suas genealogias: uns através de plataformas genealógicas online, que depois imprimiram, alguns fizeram livros e outros ergueram as suas árvores genealógicas em suportes de cartolina, corticite ou tela, com nomes, datas e fotos.

Foi um trabalho de equipa que mobilizou alunos, pais, avós e restante família. Os resultados foram magníficos.

A Lara escreveu: «…um familiar paterno  ficou tão entusiasmado que se comprometeu a tentar reunir o máximo de pessoas para, no próximo verão, fazermos um convívio com toda a família.»

Durante a montagem da exposição, passou a mãe de uma  aluna, agora no 12.º ano. «Quando a minha avó fez 100 anos, toda a família se reuniu e nós levámos a árvore genealógica que a Beatriz fizera no 8.º ano. Foi uma loucura!»