2018 – “PORTUGAL, PAÍS DE IMIGRANTES!”

No dia 30 de janeiro de 2019, pelas 9 horas, na sala de audiovisuais as turmas, 8.ºC e 8.ºD juntamente com a professora de Geografia, receberam o chefe do departamento do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Castelo Branco (SEF). A entrevista tinha como objetivo esclarecer os efeitos das migrações, não só em Castelo Branco, como em Portugal (tema que é abordado nas aulas de Geografia).

António Barata Afonso, oriundo do concelho de Oleiros, começou por relatar o seu percurso académico, referindo que estudou num seminário durante 7 anos, foi também, emigrante em Angola, esteve na academia militar durante 5 anos, trabalhou no aeroporto de Lisboa durante 4 a 5 anos e, em 2001 veio para Castelo Branco, onde está até hoje.

Durante a entrevista apresentaram-se várias questões bastante pertinentes, às quais o nosso convidado respondeu com clareza sem deixar interrogações. Das várias questões abordadas, destacam-se: “Qual a Missão do SEF?”; “Quais as razões mais frequentes das migrações?”; “É importante para Portugal, receber migrantes visto que é um país envelhecido?”; “Que condições são necessárias para se obter um visto em Portugal?”; “Qual é a nacionalidade dos imigrantes que mais solicitam vistos em Portugal?”, entre outras questões.

 

A Escola Cidade de Castelo Branco foi, ao longo do primeiro período, cenário de atividades de caráter ambiental, levadas a efeito pelo centro de reciclagem Valnor. A sessão de divulgação para as boas práticas ambientais, de caráter prático e utilitário, teve como objetivo saber separar devidamente os materiais - a responsável apresentou materiais (substitutos de resíduos) e pequenos ecopontos a utilizar dos alunos, ao mesmo tempo que se adiantaram curiosidades que as crianças gostaram de conhecer. 

Mais uma vez se reforçou a ideia de cuidar do Ambiente que é, indiscutivelmente, tarefa de todos e em toda a parte.

 

 

No mês de dezembro, alunos do 1.º Ciclo da Escola Cidade de Castelo Branco contaram com duas peças de teatro que trouxeram a magia do Natal à escola. O grupo de teatro Váatao apresentou a peça: "A magia da tecedeira" em que a par dos elementos natalícios se recuperaram os valores tradicionais da cultura do linho.

Também a turma A de 3.º ano apresentou a peça: "A máquina dos "Brinquedos". O texto foi encenado de forma brilhante para alunos de 1.º e 2.º anos que, muito agradados, estiveram perante uma máquina que fabricava presentes ao sabor das letras. Teatro é cultura que gostamos de fazer e mostrar no nosso Agrupamento.

 

 

Nos dias 11 e 12 de dezembro, a nossa turma representou a peça de teatro «A Máquina dos Brinquedos». Antes, lemos e aprendemos a história, decoramos as falas, fizemos os adereços e ensaiamos.

Em palco sentimos nervosismo, vergonha e muito entusiasmo. Os meninos e meninas do 1.º ano e os da turma do 2.º A olhavam para nós com muita atenção e pareciam adorar o que lhes estávamos a oferecer. Era uma história que já conhecíamos desde o 1.º ano. Conta as aventuras vividas por dois grupos de duendes à volta da máquina dos brinquedos do Pai Natal, que funcionava a energia musical. Ele estava muito preocupado com o fabrico dos brinquedos, tinha de ser rápido e não poluente.

Tudo terminou bem, quando todos cantaram uma canção de Natal.

FELIZ NATAL!

Turma do 3.º A, ECCB

Os alunos do 9º B da Escola Cidade de Castelo Branco desafiaram a professora de Educação Visual / Diretora de Turma a participar na 1ª Mostra de Árvores de Natal dinamizada pela Câmara Municipal de Castelo Branco.

O nosso projeto foi desenvolvido tanto na sala 23 da Escola Cidade de Castelo Branco bem como no bar dos alunos, em remodelação, da Escola Secundária Nuno Álvares.

Com muito trabalho, esforço e dedicação (valores incutidos desde o 7º Ano pela disciplina) os alunos e professora alcançaram o seu objetivo: construir uma árvore de natal utilizando somente rolhas de cortiça de diferentes tipos recolhidas pelos mesmos, cuidadosa e estrategicamente colocadas sobre uma estrutura concebida em arame, tendo posto à prova a sua organização e capacidade de trabalhar em equipa.