No passado dia 12 de novembro a turma do 5ºE foi à biblioteca realizar um bibliopaper. Esta atividade consiste num jogo que tem como objetivo orientar os alunos naquele espaço.

Para realizar esse jogo os alunos tiveram que procurar livros, jogos, filmes e outros recursos disponíveis na biblioteca, identificando títulos e autores. Depois foi ainda necessário responder a questões relacionadas com as regras da biblioteca.

Foi uma atividade interessante na qual os alunos se divertiram imenso.

Pedro Mendes e Bruno Gonçalves, 5ºE

O mês de outubro terminou de forma fantástica na Escola Cidade Castelo Branco. Foi com muito colorido e magia que a Biblioteca Escolar dinamizou o Dia das Bruxas, entre turmas do 1.º ciclo e do Jardim de Infância.

As atividades começaram 15 dias antes, com um desafio lançado a todos os alunos:  “Mostra a tua garra – põe a tua imaginação a trabalhar e, para a Biblioteca enfeitar, um gato vais apresentar”. Começaram, então, a surgir gatos de diversas formas, cores, tamanhos e feitios, cada um mais criativo do que o outro. Com esses gatos, verdadeiro símbolo do Dia das Bruxas, a equipa da Biblioteca Escolar decorou o átrio principal da escola. Entre o dia 30 de novembro e 1 de outubro, a hora do conto na Biblioteca e no Jardim de Infância da Boa Esperança foi o momento alto da alegria dos alunos, que através das histórias encenadas pela Professora Saúde, viajaram para castelos distantes, com bruxas, feitiços, abóboras, múmias e dragões. Abracadabra, e abriram-se as portas para a leitura, compreensão, vivência de histórias fantásticas que tornaram a escola um local de felicidade, de aprendizagens e experiências múltiplas.

Pozinhos de Prilin…pin…pin… Esta história chegou ao fim!!!

Outubro foi o Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, sendo assinalado, em todo o mundo, com iniciativas diversificadas de promoção do livro, da leitura e da biblioteca. Em Portugal, a RBE (Rede de Bibliotecas Escolares) propôs que se concentrassem as atividades no dia 28 de outubro.

Assim, a equipa da Biblioteca Escolar facultou textos de autores como Valter Hugo Mãe, Alice Vieira,  António Torrado, Luísa Dacosta, José Jorge Letria …, relacionados com a importância dos livros, da leitura e da biblioteca e sugeriu que, à volta desses textos, se proporcionasse um momento de leitura em todas as salas de aula, para que os alunos tivessem oportunidade de conversar e escrever sobre a biblioteca enquanto porta aberta para a vida. Os professores de Português e do 1º ciclo dinamizaram a atividade de leitura, com todas as turmas da escola, selecionando as modalidades de abordagem que melhor se adequassem ao seu público e promovendo um debate aberto e construtivo. Os alunos escreveram, ainda, um pequeno texto, dando a sua opinião sobre o valor dos livros e da biblioteca.

Esta atividade de promoção da leitura, do livro e da biblioteca foi transversal a todos os estabelecimentos envolvidos dos concelhos de Castelo Branco e Vila Velha de Ródão.

Aqui ficam alguns depoimentos dos alunos, que aderiram entusiasticamente à partilha da sua opinião sobre a biblioteca:

- As bibliotecas são como aeroportos. São lugares de partida onde os leitores se transformam em passageiros de primeira classe. Os livros são lugares imaginários. São os ingredientes que compõem os homens e as mulheres do futuro!
- Um livro vale tanto como uma pessoa, pois quando abro um livro entro num mundo em que aprendo a viver melhor. A leitura ajuda-nos em tudo o que fazemos. Com leitura a vida torna-se mais fácil. Um livro é um amigo que, apesar de não falar, quando o abrimos ficamos com mais alegria. A biblioteca é um local onde podemos fazer isto tudo.
- Eu acho que os livros nos ajudam a treinar a leitura e a sonhar, cada livro traz-nos um sonho diferente. A biblioteca escolar é um sítio fantástico onde podemos ler, requisitar livros e muitas mais atividades.
- A importância dos livros é que nos fazem acreditar e sonhar, como o conto que eu ouvi. Se não tivéssemos uma biblioteca escolar não poderíamos sonhar, nem acreditar, nem ter esperança. Sem isso o que seria de nós?
- A biblioteca escolar é importante porque contém diversos livros que são importantes para o nosso desenvolvimento na leitura e na escrita e também para a nossa cultura.
- O livro, a leitura e a biblioteca escolar são importantes porque com eles o mundo da magia e da aventura fazem-me sentir vivo.
- Os livros dão-nos informações necessárias, a leitura leva-nos a outro estilo de vida, e a biblioteca dá-nos o passaporte para esse mundo.  
- Os livros para mim são importantes porque gosto de ler, gosto de livros com muitas histórias duma só vez. A leitura para mim é importante porque dá-me aprendizagens. A biblioteca escolar é importante para mim porque tem muitos livros, jogos, filmes, revistas e permite fazer pesquisas.
- A biblioteca escolar é um local onde se estuda e lê, mas também se convive. Esta biblioteca é muito importante nesta escola porque lá nós trabalhamos, mas também sonhamos.

No dia sete de novembro realizou-se a primeira sessão de robótica, abrangida pelo projeto “Escolher Ciência” dinamizado pela Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco.
Foi uma das muitas sessões que iremos ter ao longo do ano.

Como podemos ver nas fotos os alunos construíram um carro robô Arduíno. Este robô dá a possibilidade de programar oferecendo inúmeras potencialidades de utilização.

No fim da sessão todos os intervenientes estavam satisfeitos com a jornada e prontos para a próxima que se seguirá certamente.

Nesta aventura acompanhou-nos o professor Fábio Santos que é um dos responsáveis desta iniciativa.

Fomos conhecer a vila medieval de Castelo Branco, a 8 e 9 de novembro, no âmbito do estudo da Idade Média, no 8.º ano.

Começámos por recordar a antiga igreja gótica de São Miguel e depois contornámos a Cerca da Vila, desde o Posteguinho de Valadares até ao Castelo. Aqui tentámos imaginar como seria o castelo, a partir das ruínas existentes e da planta que nos deixou Duarte D´Armas, cerca de 1500. Depois descemos a encosta, sempre junto à Cerca da Vila. Subimos à torre ao Espírito Santo, depois seguimos em direção à torre do relógio e terminámos onde havíamos começado, deixando a cerca fechada, para que ninguém assalte a vila.

Os nomes das ruas ensinam-nos que a vila cresceu em leque, de oeste (nomes ligados à agricultura) para leste (nomes relativos à indústria). E sobretudo divertimo-nos imenso!