No dia 15 de março de 2019, os alunos de 9º ano da Escola Faria de Vasconcelos, no âmbito das disciplinas de português, história, geografia e ciências naturais, e os alunos do 10º ano dos Cursos Profissionais de Apoio à Infância e de Auxiliar de Saúde, no âmbito das disciplinas de português e sociologia, realizaram uma visita de estudo a Constância, Mosteiro de Aljubarrota, Mosteiro da Batalha e Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota, sendo acompanhados pelos respetivos professores.

A saída da escola ocorreu pelas 7:45h com destino a Constância. Aí, os alunos começaram por observar a junção entre os rios Zêzere e Tejo e a Casa Museu de Camões. Puderam fazer uma visita guiada ao jardim Horto de Camões, tendo contactado com a flora que o poeta referiu na obra "Os Lusíadas", e ainda puderam observar o jardim de Macau, o Planetário de Ptolomeu, a Esfera Armilar e um painel de azulejos, assinalando a viagem de Camões até Macau.

De seguida rumaram ao Mosteiro de Alcobaça, uma das primeiras fundações monásticas cistercienses em território português, que se tornou a principal casa desta Ordem religiosa. O mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, monumento fundador do Gótico Cisterciense em Portugal, começou a ser construído no século XII. Aqui estão guardados os mais belos túmulos da escultura funerária gótica que guardam os imortais amantes, D. Pedro e D. Inês, a rainha assassinada em Coimbra por ordem de D. Afonso IV. Foram estes que mais atraíram a atenção dos alunos. À chegada, a comitiva albicastrense foi recebida nas escadarias do mosteiro pelo próprio D. Pedro.

Cerca das 14:00h, os alunos realizaram uma visita livre ao mosteiro da Batalha, onde puderam visitar e observar a igreja, o claustro e diversas salas: a sala do túmulo do soldado desconhecido, as capelas imperfeitas.

Dando seguimento à visita, cerca das 16 horas, os alunos chegaram ao local onde, em 1385, foi travada a Batalha de Aljubarrota: o centro de interpretação da batalha. Aí observaram réplicas de alguns instrumentos utilizados pelos soldados nessa mesma batalha e assistiram a um espetáculo multimédia que facilitou a sua interpretação.

Por volta das 17:30h, os alunos abandonaram o local, tendo chegado a Castelo Branco cerca das 20h.

A visita aos quatro locais permitiu às turmas consolidar os seus conhecimentos sobre a obra estudada/a estudar nas aulas de português - "Os Lusíadas" -, alargar o horizonte cultural dos alunos e promoveu um salutar convívio entre os participantes.