Há ideias que perpassam no tempo e encontram eco em cada CorAção.Inclusivamente-num-Coracao 01

No Projeto Inclusivamente há professores, pais, alunos... turmas inteiras empenhadas em "dar mais ao mundo" com consistência e continuidade. Duas grandes ações congregaram massivamente a comunidade: a recolha de papel para o Banco Alimentar e a Recolha de Plástico para ajudar o Gonçalo a obter a sua cadeira de rodas. Ambas foram concretizadas com Cor+Ação! À cor azul de um laço e de um abraço, correspondeu uma ação (recolha de plástico) que ultrapassou as 4 toneladas de plástico e ao multicolorido de revistas, livros, jornais ou pacotinhos de açúcar, uma outra ação (recolha de papel) que superou as 3 toneladas.

Em simultâneo, 4 turmas formadas pela Equipa Young Volunteam/Inclusivamente desenvolveram inúmeras iniciativas e projetos que deram muito... muito mais ao mundo: recolha de alimentos para o Banco Alimentar; Campanha de recolha de fundos para a AMI, Participação na Campanha do Pirilampo Mágico; Atelier de reciclagem e solidariedade; Criação de um laço azul; elaboração, com alunos mais novos, de lembranças para o dia da mãe; encontro de gerações na Santa Casa da Misericórdia; elaboração de corações solidários.

Em resposta ao desafio lançado pela empresa Jumbo,FV Cineteatro1 os alunos do Agrupamento de Escolas Nuno Álvares, fizeram trabalhos para o 8º concurso escolar Rik & Rok , este ano subordinado ao tema "Somos Luminosos!" e integrado nas comemorações do Ano Internacional da Luz decretado pela ONU.

O tema deste ano foi dedicado à luz, procurando sensibilizar ainda mais para a utilização equilibrada dos recursos naturais como a luz e a produção de energia elétrica.

Pretendeu-se que as crianças ficassem a conhecer a importância da luz, como aproveitá-la e como utilizar a energia de forma sustentável. Por isso, foi pedido aos alunos e professores que criassem um projeto de aproveitamento da luz natural da escola ou um projeto para diminuir o consumo de energia elétrica da escola.FV Cineteatro2

A Rik e o Rok deslocaram-se ao Cineteatro de Castelo Branco, para levantar os trabalhos e realizar uma peça de teatro com o objetivo de incutir os princípios pedagógicos deste tema de forma lúdica e numa linguagem divertida.

 

Professora Maria José Semedo, 4º B-FV

No dia 14 de maio, os alunos dos 4º A e B FV-Visita-ao-Museu-4ano-1da Escola Faria de Vasconcelos foram visitar uma exposição de pintura ao Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco. A visita esteve no âmbito da área de Expressões lecionada pelo professor Carlos Matos. As obras expostas estão subordinadas ao tema "Everywhere is the same sky" - Uma perspetiva de paisagem na coleção Norlinda e José Lima. Esta colecção tem em comum uma abordagem artística e plástica da paisagem, uma selecção onde são aplicadas diversas técnicas: pintura a óleo, desenho, fotografia, vídeo e técnicas mistas. Depois da visita alunos e professores ficaram com a impressão que o céu é realmente o mesmo em todo o lado!

Professora Maria José Semedo do 4º B

FV-Visita-ao-Museu-4ano-2

Mais uma vez foi assinalada a festa da francofonia, evento a nível mundial FV dia da francofonia 01que se comemora todos os anos no dia 20 de março. Como tem vindo a tornar-se tradição, a Escola Básica António Sena Faria de Vasconcelos, do Agrupamento Nuno Álvares, quis promover o reconhecimento da língua francesa e das culturas francófonas. Assim, foram elaborados trabalhos que, com a ajuda dos professores Célia Gonçalves e Manuel Jerónimo, em articulação com a professora Gabriela Leitão de Educação Visual e das professoras do 1º ciclo, tiveram como mote os monumentos franceses.

Do dia 18 ao dia 20, estiveram em exposição maquetes de monumentos franceses elaborados pelos alunos do 3º ciclo, mas também de plantas de Paris com os seus monumentos da autoria dos alunos do 1º ciclo.

Paralelamente à exposição de trabalhos e à visualização de vídeos de música francesa, os alunos assistiram à projeção dos filmes: "Um Monstro em Paris" (1º ciclo); "Titeuf le film" (2º ciclo) e "Les visiteurs" (3º ciclo).

Para encerrar esta celebração, no dia 20 de março todos os alunos puderam descobrir e apreciar um menu elaborado com receitas francesas servido nas cantinas escolares das escolas do Agrupamento Nuno Álvares.

Com esta atividade, pretendeu-se contribuir para a promoção e divulgação tanto da língua como da cultura francesas que, para além das reconhecidas relações históricas e culturais com o nosso país, têm uma importância crescente tanto ao nível dos países europeus como nos restantes continentes.

Cantar as Janeiras é uma traição em Portugal que consiste
 no cantar de músicas pelas ruas por grupos de pessoas anunciando o nascimento de Jesus, desejando um feliz ano novo. Esses grupos vão de porta em porta, pedindo aos residentes as sobras das Festas Natalícias. Hoje em dia, essas "sobras" traduzem-se muitas vezes em dinheiro.

Ocorrem em janeiro, começando no dia 1 e estendendo-se até dia 6, Dia de Reis. Hoje em dia, muitos grupos prolongam o Cantar de Janeiras durante todo o mês.

A tradição geral e mais acentuada, é que grupos de amigos ou vizinhos se juntem, com ou sem instrumentos musicais. Depois do grupo feito vão cantar de porta em porta pela vizinhança. Terminada a canção numa casa, espera-se que os donos tragam as janeiras (castanhas, nozes, maçãs, chouriço, morcela, hoje costume dar-se chocolates e dinheiro, embora não seja essa a tradição).No fim da caminhada, o grupo reúne-se e divide o resultado, ou então, comem todos juntos aquilo que receberam. As músicas utilizadas, são por norma já conhecidas, embora a letra seja diferente em cada localidade.

Foi neste espírito que os alunos e professores do 2º ano de escolaridade deste Agrupamento de escolas se deslocou à Câmara Municipal, à Junta de Freguesia e à escola Sede do Agrupamento de Escolas Nuno Álvares. Assim, reviveram esta tradição entoando duas canções e felizes desejarem aos trabalhadores daquelas instituições um próspero ano novo.

janeiras 01 janeiras 02