Os clubes permitem desenvolver competências e aprofundar aprendizagens de uma forma mais prática. Assim, os Clubes de Jornalismo e Fotografia da Escola Cidade de Castelo Branco realizaram uma visita ao Museu Tavares Proença Júnior, no dia 7 do mês passado.

Esta visita teve como objetivo, por um lado, conhecer um dos museus de destaque no património local de Castelo Branco, por outro, recolher informações e outros elementos importantes para produzir vários trabalhos jornalísticos a realizar no Clube de Jornalismo.

De modo a preparar a visita e a torná-la o mais rica possível, os alunos recolheram várias informações e prepararam folhetos informativos sobre o museu.

Os participantes tiveram a oportunidade de usufruir de uma visita guiada, que deu a conhecer aos alunos e professores um pouco da história do museu, do seu fundador, das obras de arqueologia, colchas, bordados e pinturas, que compõem o MFTPJ.

Para terminar esta visita, o Clube de Jornalismo entrevistou o senhor José Ribeiro, guia do MFTPJ, para esclarecer algumas dúvidas. O Clube de Fotografia fez a reportagem fotográfica.

CLUBE DE JORNALISMO, CCB

Transcrevemos seguidamente a entrevista realizada no âmbito desta atividade:

Clube de Jornalismo - Pode falar-nos um pouco sobre a origem do museu e da sua história?

Senhor José Ribeiro - Este museu iniciou-se com o núcleo de arqueologia do fundador Francisco Tavares Proença Júnior, no convento de Santo António, (atual estabelecimento prisional), no ano de 1910, mais precisamente no dia 17 de abril.

CJ - Se tivesse que apresentar o museu de forma muito breve, o que diria?

JR - Diria que é um espaço cultural que merece ser visitado para nos enriquecer a todos, para que a cultura seja cada vez maior e melhor.

CJ - Neste momento, o museu dispõe de algum serviço destinado às crianças e aos jovens?

JR - Atualmente não, mas já dispôs dos chamados “serviços educativos”, onde atendíamos exclusivamente crianças e jovens em ateliês, fazendo, por exemplo, experiências relacionadas com as diversas atividades do museu. Agora não dispomos desse serviço, mas isso não quer dizer que as crianças e os jovens não sejam bem atendidos.

CJ - Quem é o responsável pelo museu atualmente?

JR - Neste momento quem está a gerir este museu é a Câmara Municipal de Castelo Branco.

CJ - Quem são os principais visitantes do museu? São de nacionalidade portuguesa ou de outras?

JR - Temos visitantes de várias nacionalidades, de todas as partes do mundo. Às vezes, os albicastrenses não se apercebem, mas é raro o dia em que não há turistas em Castelo Branco. Relativamente aos nossos visitantes, podemos dizer que a maior percentagem é, de facto, de portugueses e, a seguir, de espanhóis.