No dia em que Isabel Zambujal veio à escola, nós, alunos do 2º A da Escola Faria de Vasconcelos, quisemos, juntamente com alunos de outras turmas do Agrupamento de Escolas Nuno Álvares, assistir a uma palestra onde a escritora nos deu a conhecer um pouco da sua vida, apresentando-nos, em simultâneo, várias obras que escreveu para crianças. Algumas já nós conhecíamos! É o caso do Livro “Histórias Escritas na Cara”.

Também nós gostamos de ler e escrever! Por isso, com a ajuda da nossa professora, pegámos numa frase da história do Livro “Histórias Escritas na Cara” e construímos a nossa história. Ora leiam com atenção:

 

Mas havia uma ruga zangada que a avó Joaquina não queria que desaparecesse…

Sim, no meio de tantas rugas, umas compridas, outras curtas, umas horizontais outras verticais, havia, no rosto de Joaquina, uma especial, um tanto infeliz. Mais que isso, zangada.

Por que seria? Qual o segredo? Qual a história que ela guardava?

A vida de uma pessoa tem cada segredo!...

Talvez porque no dia 2 de março, do ano que não sabemos qual, os pais de Joaquina se separaram, ficando a menina só com o pai. A mãe viu-se obrigada a partir para arranjar trabalho num país longínquo. A partir do tal dia 2 de março, Joaquina deixou de sorrir, dando, por isso, lugar a uma enorme ruga horizontal, no meio da testa. Sim, era uma ruga, ninguém gosta de ter rugas, mas esta era a fiel companheira de Joaquina.

Já em adulta, Joaquina vê regressar a sua mãe. O seu rosto irradia felicidade, pula, bate palmas… No meio de tanta euforia esqueceu-se da sua amiga ruga, companheira dos maus momentos. Só no dia seguinte, pela manhã, ao ver-se no espelho reparou nela.

Viu que estava zangada, mas prometeu-lhe:

- Fica descansada, nunca te deixarei! Não te zangues que ficas feia assim!

 

Alunos do 2º A /com Profª Terezinha Louro/ Escola Básica Faria de Vasconcelos