No passado dia 30 de abril, sábado, a Escola Secundária Nuno Álvares, sede do Agrupamento de Escolas com o mesmo nome, engalanou-se e brilhou com as várias exibições que envolveram alunos, Pais e Encarregados de Educação, Funcionários e Professores no evento Maratona dos Contos e das Artes.

A tradição desta exibição começou namaratona contos 01 Escola Faria de Vasconcelos e, ao ser alargada a todo o agrupamento, acabou por se tornar cada vez mais rica, contribuindo positivamente para a promoção da cultura, para o desenvolvimento da criatividade e mesmo para a educação para a cidadania.

As atividades começaram pelas 10.00 horas, com o grupo de Percussão da Escola Cidade Castelo Branco, seguindo-se várias atuações no âmbito da dramatização, dança, canção, declamações, coreografias, contos. Os espectadores puderam viajar pelos mares, pelas hortas, por reinos antigos e mágicos, e pelo mundo dos sons, cores e movimento que animaram o palco e todo o dia de sábado. Os atores, desde crianças do 1º ano de escolaridade, até adolescentes de outros níveis de ensino, exibiram-se alegremente, demonstrando grande qualidade. Para tal, foi também vital a orientação dos professores, agentes imprescindíveis, que merecem um voto de louvor pelo excelente trabalho pedagógico e humano que desenvolvem diariamente e em atividades como esta, com tão grandiosa expressão.

maratona contos 02Todas as escolas do agrupamento deram o seu contributo e, com as escolas, todos os seus agentes educativos. Os pais e encarregados de educação compareceram em força, ora aplaudindo, ora mesmo participando nas atividades. Quase em trabalho de bastidores, organizando o antes e o depois, e mesmo o durante, estiveram os funcionários da escola, agentes fundamentais para o sucesso deste eventos e também no dia- a- dia.

A Maratona dos Contos e das Artes termina sempre com "chave de ouro", na biblioteca Egas Moniz, onde todos os participantes se envolvem em histórias, lendas, lengalengas, que nos levam a patamares mais elevados da nossa existência. Assim foi, no dia 30, e, no final, depois de tantas horas de trabalho, de tanta criação e empenho, foi bom ouvir as palavras do Sr. Diretor do Agrupamento, que, como um bálsamo, incentivam a continuar e, se possível, a melhorar cada vez mais este e outros eventos.

Se, efetivamente, "a união faz a força", é em eventos deste género que o Agrupamento mostra estar no seu melhor caminho.

maratona contos 03 maratona contos 04