O crescente problema da poluição no rio TejoPoluicao Tejo está a tornar-se cada vez mais preocupante. As águas límpidas correm o risco de desaparecer. De quem é a culpa?

O descontentamento das populações está a aumentar como se pôde verificar, no passado dia 20 de fevereiro, quando um grupo de pescadores queimou um barco junto ao cais de Vila Velha de Ródão. Esta ação pretendeu chamar a atenção pública para a poluição do rio Tejo, o que pode significar o fim da atividade piscatória naquele que é o maior rio do território nacional e da Península Ibérica.

Também as atividades turísticas ligadas ao rio, que podem constituir um grande potencial de desenvolvimento desta região do interior do país, podem estar em risco se os índices de poluição continuarem a aumentar.

Tampinhas 01O projeto consiste na recolha de tampinhas de plástico, ao longo do ano letivo, começando com uma sensibilização a todas as turmas, desde o Pré-escolar até ao 9ºano. Os alunos são incentivados a contactar estabelecimentos comerciais junto das suas residências, cidadãos albicastrenses seus conhecidos e, claro, as suas famílias, no sentido de todos juntarem tampinhas e entregarem-nas na escola. No final do ano, no Dia Eco-Escolas, as tampinhas recolhidas são entregues a uma instituição de solidariedade social. Deste modo, estamos a contribuir para reduzir os resíduos e, por outro lado, para uma causa social e solidária.

Memória descritiva
O projeto já vem de há vários anos. No início de cada ano letivo, os membros do conselho Eco-Escolas fazem uma sensibilização às turmas da Escola para que recolham tampinhas de plástico e as levem para a escola em sacos ou garrafões de plástico. Também os professores e funcionários são alvo desta sensibilização.

Escola Cidade de Castelo Branco comemora Dia Eco-Escolas com a entrega de tampinhas de plástico à Cáritas de Castelo Branco, numa ação de carácter ambiental mas também solidário. Neste dia foram também galardoados os alunos e colaboradores que maior quantidade de tampinhas recolheram ao longo do ano letivo. A cerimónia teve a participação dos membros do conselho Eco-Escolas.

 

O aluno Manuel Farias do 9º ano da Escola Cidade de Manuel FariasCastelo Branco, membro do Clube Europeu e do projeto Eco-Escolas, foi selecionado, a nível nacional, para integrar um grupo de apenas doze alunos portugueses e dois cipriotas, a fim de participar numa Missão Ambiental que decorreu de 28 de março a 2 de abril, em Portel, no Alentejo. O Manuel foi selecionado por ter participado no concurso, com uma reportagem sobre a poluição no rio Tejo. A qualidade da reportagem deu-lhe o passe para uma semana de grande atividade ambiental e de convívio com jovens de vários níveis etários, sendo o Manuel um dos mais novos do grupo selecionado. O grupo foi orientado por membros da coordenação nacional do programa Eco-Escolas, da ABAE – Associação Bandeira Azul da Europa.

Durante esta Missão no Alentejo, os jovens repórteres tiveram oportunidade de investigar aspetos relacionados com a sustentabilidade ambiental, económica e sociocultural do território, bem como desenvolver competências diversas como: investigação, escrita e trabalho em grupo. Visitaram a barragem do Alqueva e a Aldeia da Luz, a Aldeia da Estrela, o observatório de Monsaraz, o Museu Etnográfico e da Bolota, a Herdade do Vale da Rosa, o Centro UNESCO Aldeia das Ciências, a Herdade da Pereira – Hidroponia, a Central Fotovoltaica da Glintt em Évora, a Casa Sustentável da Amieira, a redação do jornal "Diário do Sul", entre outros locais, num programa bem recheado de múltiplas experiências, decerto muito enriquecedoras para as aprendizagens dos intervenientes. Deram ainda uma entrevista à Rádio Telefonia do Alentejo e participaram numa Conferência de Imprensa na Biblioteca de Portel.

No âmbito do programa Eco-Escolas, a Escola Cidade de Castelo BrancoRota 20 01 participou na Rota dos 20, uma atividade que decorreu em 20 regiões (os 18 distritos do continente e as duas regiões autónomas) para comemorar os 20 anos do Eco-Escolas em Portugal.

A "Rota dos 20″ colocou o enfoque na mobilidade sustentável e na participação ativa das crianças e jovens na procura e proposta de soluções.

Os testemunhos (uma Bandeira Verde e um Pergaminho) onde foram registados compromissos e sugestões percorreram as Eco-escolas sendo o testemunho passado de escola em escola da forma mais sustentável possível (de bicicleta, a pé, "à boleia"...).